Escola Profissional Edson Queiroz Homenageia Rubem Alves e Ariano Suassuna

 

O Dia Nacional do Escritor, 25 de julho, foi comemorado em grande estilo na EEEP Edson Queiroz, da Crede 9, com homenagem a Rubem Alves e a Ariano Suassuna.

 

A atividade ministrada pelos coordenadores Reginaldo Nascimento e Dráulio Custódio, ocorreu na praça de alimentação, durante o intervalo do almoço, e teve apoio dos professores da Multimeios, PCLEI e de alunos.

 

Na ocasião, foram destacadas as principais obras dos dois escritores, e ressaltadas as perdas literárias que o país teve neste mês. Além disso, a escola prestou homenagem à  Professora Edna Gadelha e à Jaynara Lima, ex-aluna que cursou Informática até o ano de 2013.

 

Mais informações:
Crede 9
Coordenador: Paulo Alexandre

EEEP Edson Queiroz

 

28.07.2014
Assessoria de Comunicação da SEDUC
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Campanha Quem Ama Abraça é lançada no Ceará

:: Portal Brasil

Cidadania e Justiça

Campanha Quem Ama Abraça é lançada no Ceará

Combate à violência de gênero

Objetivo é promover ações lúdicas nas escolas que falem sobre o respeito à mulher
por Portal Brasil publicado: 05/06/2014 14:32 última modificação: 05/06/2014 14:34
Crédito?Divulgação/SPM 

Evento aconteceu no Auditório João Frederico Ferreira Gomes da Assembleia Legislativa, em Fortaleza(CE)

A campanha “Quem Ama Abraça - Fazendo Escola” foi lançada na tarde dessa quarta-feira (4), no Auditório João Frederico Ferreira Gomes da Assembleia Legislativa, em Fortaleza (CE). O objetivo da iniciativa é promover ações lúdicas que falem sobre o respeito à mulher mobilizando escolas, crianças e adolescentes no combate à violência contra a mulher. 

A campanha é promovida pela Rede de Desenvolvimento Humano (Redeh) e do Instituto Magna Mater (IMM), em parceria com a Secretaria de Políticas para as Mulheres da Presidência da República (SPM-PR). 

A secretária adjunta de Enfrentamento à Violência contra as Mulheres da SPM, Rosângela Rigo, destacou durante o evento que o Brasil é o 7° lugar no ranking nacional em mortes de mulheres. Segundo ela, 80% dos agressores são homens, parceiros e ex-parceiros. 

“Apesar dos números, o governo federal tem trabalhado e investido bastante contra a violência em mulheres. Com essa campanha, por exemplo, os jovens são conscientizados que a violência não é normal. É importante também que a sociedade e as mulheres que são agredidas denunciem essa agressão através do Ligue 180, para que as providências possam ser tomadas”, pontuou Rosangela Rigo. 

No Estado do Ceará, além da Assembleia Legislativa, aderiram à campanha a Secretaria da Educação e a Coordenadoria de Políticas Públicas para a Mulher. A presidente da Frente Parlamentar em Defesa da Mulher da Assembleia Legislativa do Ceará, deputada Fernanda Pessoa (PR), ressaltou a importância de divulgar a campanha nas escolas do Ceará. “A agressão contra as mulheres não pode mais ser vista como uma coisa normal. É preciso trabalhar dentro das escolas, desmistificando a normalidade da violência doméstica, para que o jovem de hoje seja um adulto consciente amanhã”, disse. 

A coordenadora de Políticas para as Mulheres do Estado do Ceará, Mônica Barroso, ressaltou a importância de desconstruir a política da violência. “Muitas vezes, os professores são os primeiros a notar quando um jovem é vitima de violência dentro de casa. É importante que cada coordenador e professor esteja preparado para saber como agir e que cada jovem aprenda a desconstruir a violência presente em cada lar”, disse. 

Estavam presentes no evento o secretário da Educação do Estado, Maurício Holanda; a diretora da Rede de Desenvolvimento Humano (Redeh), Patrícia Moura; o coordenador do programa Geração da Paz, Flávio Mesquita, além de coordenadores, professores e alunos de escolas cearenses. 

Fonte: 

Secretaria de Políticas para as Mulheres

 

18/06/2014 - 21h20 Número de inscritos no Ceará para o Enem aumentou 15,27% em relação a 2013

Fonte: O POVO On-line
18/06/2014 - 21h20

Número de inscritos no Ceará para o Enem aumentou 15,27% em relação a 2013

notícia 1 comentários
Camila Holanda O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.">O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.
Compartilhar

O número de candidatos inscritos no Ceará para o Exame Nacional de Ensino Médio (Enem) de 2014 aumentou 15,27% em relação ao ano passado. Foram 570.967 pessoas que se inscreveram para realizar a prova em novembro próximo. Com isso, o Estado ficou no quinto lugar do País em número de pessoas que irão realizar o exame, atrás de São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Rio de Janeiro.

O balanço foi divulgado na segunda-feira, 16, pelo ministro da Educação, Henrique Paim, e pelo presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), José Francisco Soares. Em todo o Brasil, o número de inscritos no Enem foi de 8.721.946, o que significa um crescimento de 21,6% em relação ao ano passado. A marca é superior às expectativas do governo, que era entre 8 milhões e 8,2 milhões de inscrições.

O aumento de pessoas que vão realizar o Enem no Ceará pode ter duas explicações, segundo Miguel Franklin, coordenador do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) na Universidade Federal do Ceará (UFC). A primeira delas é a participação da Universidade Estadual do Ceará (Uece) no sistema de seleção. Até o meio deste ano, a instituição utilizava o sistema de vestibular para selecionar os candidados. A partir da edição deste ano, o Enem será a forma que os estudantes terão de ingressar na universidade estadual. “Essa crescente adesão das instituições ao Sisu estimula muito os estudantes e eles acabam procurando mais”, pontua Miguel.

Outro ponto abordado pelo coordenador do Sisu da UFC são os trabalhos realizados nos colégios estaduais para estimular os alunos a buscar cursos superiores em universidades públicas. “Até pouco tempo atrás havia uma elitização muito grandes nessas universidades. Com trabalhos e o maior estímulo dado, eles se interessam mais. Ano passado, 98% dos concludentes do ensino médio das escolas estaduais se inscreveram no Enem. Isso é um número muito bom”, lembra Miguel.


Cotas
Pela lei 12.711, as instituições federais de educação superior vinculadas ao Ministério da Educação têm de reservar no mínimo 50% de suas vagas para estudantes que tenham cursado integralmente o ensino médio em escolas públicas. Dentro desses 50%, as vagas devem ser destinadas a estudantes com renda familiar inferior a 1,5 salário mínimo, pretos, pardos e indígenas. Para essa edição do Enem, houve um aumento de 57,91% de candidatos que se declararam negros. Para Miguel, esse número não precisa, necessariamente, significar que eles vão concorrer às cotas.

Centec e Seduc abre vagas para estagiários do Projeto e-Jovem, no CE

 

Projeto e-Jovem 20/06/2014 - 09h30

Centec e Seduc selecionam estagiários, assistentes e instrutores

 

notícia 0 comentários
Compartilhar

O Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec) e a Secretaria da Educação do Estado do Ceará (Seduc/CE) estão com inscrições abertas para o processo seletivo de estagiários, assistentes e instrutores do Projeto e-Jovem. O e-Jovem oferece formação complementar em Tecnologia da Informação e Comunicação para egressos e alunos do Ensino Médio da rede estadual e da 8º e 9º séries do Ensino Fundamental, possibilitando sua qualificação e a consequente inserção no mundo do trabalho para geração de renda, enfatizando o protagonismo juvenil e a universalização da cultura digital.
 
O Edital 007/2014 traz todas as informações sobre a seleção de estagiários, assistentes e instrutores de informática e empregabilidade para atuar em 74 municípios. O Edital 008/2014 seleciona estagiários educadores para as áreas de informática e educação empreendedora em 28 cidades.
 
As inscrições são feitas on-line, através deste Link e vão até o dia 29 de junho. É necessário o pagamento de uma taxa de 10 reais. A primeira fase é composta por uma prova objetiva que acontecerá no dia 6 de julho. As 2ª e 3ª fases são de avaliação didática e curricular, respectivamente.
 
As vagas são para as seguintes cidades: Acarape, Acaraú, Acopiara, Aiuaba, Altaneira, Aquiraz, Aracati, Aracoiaba, Assaré, Banabuiú, Barbalha, Baturité, Beberibe, Boa Viagem, Brejo Santo, Camocim, Canindé, Caridade, Carnaubal, Cascavel, Caucaia, Cedro, Choró, Coreaú, Crateús, Crato, Croatá, Dep. Irapuan Pinheiro, Eusébio, Fortaleza, Granja, Groaíras, Guaraciaba do Norte, Horizonte, Ibicuitinga, Icó, Iguatu, Ipu, Iracema, Itaitinga, Itapajé, Itapipoca, Jaguaribe, Juazeiro do Norte, Limoeiro do Norte, Maracanaú, Maranguape, Mauriti, Meruoca, Milagres, Milhã, Mombaça, Monsenhor Tabosa, Nova Russas, Pacajus, Pacatuba, Parambu, Pedra Branca, Pentecoste, Quiterianópolis, Quixadá, Quixeramobim, Redenção, Reriutaba, Russas, Santa Quitéria, Santana do Acaraú, São Benedito, São Gonçalo do Amarante, Senador Pompeu, Sobral, Solonópole, Tauá, Tianguá, Várzea Alegre e Viçosa do Ceará.
 
Sobre o E-Jovem
 
O projeto foi criado em 2007 , tendo qualificado mais de 15.000 mil alunos em 180 escolas estaduais, localizadas em 70 municípios. Os jovens participantes possuem taxa de 40% de inserção no mercado de trabalho e uma média de 500 projetos sociais implementados.

Mais Informações: O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Redação O POVO Online

 

 

 

Educação do Ceará mais uma vez é destaque na imprensa nacional

Pouco mais de uma semana após o programa Fantástico, da Rede Globo, ter exibido o modelo de educação aplicado em Sobral e que se expandiu para todo o Estado, o Ceará novamente ganha destaque nacional. Na edição desta sexta-feira (25), do jornal O Estado de S. Paulo (Fórum Estadão Brasil 2018), traz o exemplo cearense na conquista na melhoria concreta dos índices de educação.

Entre os destaques da reportagem está a implantação do Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic), que inspirou o Governo Federal a criar o Programa Nacional na Idade Certa (PNAIC). "Criado em 2007 com o intuito de promover a alfabetização das crianças até o segundo ano do ensino fundamental em todos os municípios. Na época da implantação, o estado contabilizava 184 municípios e apenas 15 com nível adequado de alfabetização, entre eles Sobral. Apenas 8% das redes de todo o estado ensinavam leitura adequadamente. Já em 2011, apenas cinco municípios cearenses não alcançaram o nível 'desejável' de alfabetização. Foram considerados 'suficientes'", traz a reportagem. Além disso, a matéria destaca a capacitação dos professores sob a responsabilidade do Governo do Ceará e a destinação de parte dos recursos do ICMS que são transferidos para os municípios depende de índices educacionais.

Confira a íntegra da matéria:

O Estado de S. Paulo | Fóruns Estadão Brasil 2018

Sobral vira modelo nacional de gestão

Município do Ceará, Sobral enfrentava um problema na rede pública: 48% das crianças até os 7 anos não eram de fato alfabetizadas. Não sabiam nem mesmo formar palavras. Dados do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) estimam que o valor gasto anualmente por aluno foi de R$ 2.221,73 em 2013.

Para contornar o problema, a cidade cearense apostou em um plano de gestão diferenciado, focado na erradicação do analfabetismo, na diminuição da evasão escolar, na valorização do professor e na meritocracia. O modelo educacional proposto foi tão bem-sucedido que Sobral virou base para o projeto nacional de ensino, que começou a ser implementado em mais de 5.300 municípios no ano passado.

O índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de Sobral já superou a meta federal prevista para 2021, de 6,1 pontos. Sobral possui 51,76% de pessoas vulneráveis à pobreza, com renda domiciliar per capita igual ou inferior a R$ 255,00 mensais.

A evolução do município inspirou, em 2007, a criação do Programa de Alfabetização na Idade Certa (Paic) do Estado, com o intuito de promover a alfabetização das crianças até o segundo ano do ensino fundamental em todos os municípios. Na época da implantação, o estado contabilizava 184 municípios e apenas 15 com nível adequado de alfabetização, entre eles Sobral. Apenas 8% das redes de todo o estado ensinavam leitura adequadamente. Já em 2011, apenas cinco municípios cearenses não alcançaram o nível "desejável" de alfabetização. Foram considerados "suficientes".

Capacitação de professores

"Em 2007, quando lançamos o Paic, 39% das crianças de 7 anos eram analfabetas ou alfabetizadas de forma incompleta. De 2008 até 2013 conquistamos um resultado de 6%.", diz Maurício Holanda, secretário adjunto de Educação do Ceará. O governo federal e estadual disponibilizou uma verba de R$ 20 milhões para o programa que capacitou aproximadamente 15 mil professores.

Não foi apenas na leitura que os alunos progrediram: o Ceará foi o estado que mais avançou no Ideb dos anos iniciais do ensino fundamental, passando de 3,2 pontos para 4,9, segundo os dados avaliados desde 2005. A nota fica abaixo da média nacional de 5 pontos, mas é superior a meta esperada de 4.

Toda essa mudança começou em 2000 quando o Estado resolveu fazer uma pesquisa e descobriu 48% de alunos analfabetos funcionais entre 7 e 8 anos. "Quando uma criança chega aos 8 anos de idade sem saber sequer ler um texto simples, de três frases, toda a aprendizagem posterior fica comprometida", diz Holanda. Em 2000, a taxa de abandono do 1º ao 9º ano da rede de ensino fundamental era de 9,94% e o indicador de distorção idade-série de 57,50%. "O aluno que não sabe ler acaba desistindo. Deixar uma criança nessa situação é um estelionato", diz.

Uma nova política de Ensino Fundamental foi elaborada com base na gestão levada à sala de aula, na realização de avaliações meritocráticas, qualificação profissional e um sistema baseado em incentivos para os professores.

Incentivos fiscais. Em 2011, foram distribuídos cerca de R$ 450 mil em prêmios para os docentes. De acordo com o secretário municipal de Educação, Júlio César da Costa Alexandre, de 26,5% a 27% do orçamento da prefeitura é destinado para a educação - o mínimo constitucional é de 25%. Além disso, contam com uma lei estadual que garante o repasse do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) com base em bons resultados na educação, saúde e meio ambiente.

Em outras palavras: as mudanças foram realizadas sem investimentos excepcionais.
Hoje, o número de crianças alfabetizadas aos 7 anos de idade chega a 95,8%."Nossa perspectiva é de que a gente melhore ainda mais para que a escola pública de Sobral possa resgatar algo que a escola pública brasileira perdeu: aboa imagem perante as famílias e a sociedade", diz Alexandre. Para Priscila Cruz, diretora executiva do movimento Todos Pela Educação, não é possível, porém, apostar apenas no sucesso de uma boa administração. "Não dá para separar financiamento e gestão. Isso é uma falsa dicotomia. Na verdade, se tem financiamento, mas não tem a gestão, não adianta, vai para o ralo o recurso. E, se não tem verba, não tem como custear qualquer projeto."

De acordo com o secretário de Educação, o investimento adequado dos recursos também faz diferença. "Quando a reprovação diminui, surge uma economia: uma coisa é ter dez alunos em uma mesma série, outra coisa é ter 20. Os gastos aumentam com esse número", explica o secretário Alexandre.

Escola integral. A cidade está fazendo um investimento maciço na educação infantil. Entre os focos, a implantação de escolas em período integral com objetivo de universalizar a dupla jornada nas escolas sobralenses. O programa prevê a construção de 17 escolas de período integral nos próximos quatro anos. A primeira já está em funcionamento.

Priscila Cruz aponta a ausência da cultura de utilização de referências de gestão eficaz no Brasil. "A cada troca de secretário, as políticas educacionais tendem a mudar. Existem pesquisas de larga escala mostrando quais são as políticas que dão mais resultado. Isso deveria ser aproveitado", diz Priscila. "O caso de Sobral é um desses casos, repletos de boas referências".

Após aproximadamente 12 anos de desenvolvimento de uma ação sistêmica, as escolas do município não apresentam grandes diferenças de indicadores, mesmo nas unidades da periferia e em zonas rurais, onde a concentração de pobreza é maior. "Essa padronização demonstra que se trata de uma ferramenta social possível de ser replicada", diz o secretário Alexandre.

As políticas públicas devem ter foco claro e estimular o engajamento dos responsáveis para construir uma educação de qualidade, apesar da desigualdade. 

Priscila ressalta que não é possível ter um modelo unificado. "O diagnóstico de cada cidade é diferente e o sucesso de um lugar não garante sucesso em outro. As pessoas esquecem que a parte mais importante é a implementação, não adianta só tentar aplicar", explica Priscila.

No Ceará, outros municípios conquistaram indicadores melhores que o de Sobral. "A chave", segundo Holanda, "foi oferecer apoio, mas deixar que cada município ajustasse sua política.

Se for olhar para Sobral, não tem nada de muito inesperado. "Fizeram o básico", diz Priscila. "Fazer bem-feito é o segredo, mas esse segredo não cabe numa receita."

Escola vai buscar aluno em casa se ele não aparecer na aula

Fortalecimento da gestão escolar, da ação pedagógica e a valorização do magistério - que se traduziu em programas de capacitação e política de bônus salarial - são os principais eixos do programa educacional de Sobral, no Ceará. As escolas receberam maior autonomia administrativa, financeira e pedagógica. Podem até mesmo firmar contratos temporários, sem passar pela prefeitura.

O importante é prestar contas e alcançar a principal meta: alfabetizar 100% das crianças até os 7 anos.

Para isso, uma das batalhas foi derrubar a taxa de evasão escolar. Hoje, quando um aluno não aparece em aula, não é raro ver um funcionário administrativo sair de moto para buscá-lo em casa, se necessário. Antes, porém, a escola liga para os pais a fim de averiguar o que aconteceu, e repassar o conteúdo ensinado no dia pelos professores. A taxa de abandono do ensino fundamental de Sobral era de 9,94% em 2000. Há dois anos, esse índice foi zerado.

"Hoje, é raro ver um aluno faltar exceto em casos de doença", diz a professora Lidiane Rodrigues dos Santos, que leciona na 5ª série da Escola José Ermírio de Moraes. "Foi necessário um esforço conjunto, de funcionários administrativos e professores, de envolver os alunos e as famílias nesse novo processo, o que gerou um elo mais forte." Lidiane está na escola desde 2009, e pôde acompanhar as mudanças de perto. "O desejo de ver o aluno entrar na sala e sair com o conteúdo aprendido entre os professores aumentou", afirma. "E acho que também existe um desejo maior do que antes de os alunos aprenderem."

Esse novo ânimo foi despertado com uma política apoio e valorização dos docentes. Os professores passaram a ser contratados por processos seletivos e concursos - e não mais por indicação política. Foi implantado programa de capacitação. Todos os professores se reúnem mensalmente na Escola de Formação da cidade para discutir o material e aprender como melhor desenvolver o plano de aula. Além de trocar experiências, o corpo docente conta com monitores que auxiliam no desenvolvimento de atividades lúdicas para a sala de aula.

Faz parte do pacote o incentivo salarial mensal com base no desempenho de sua turma nas avaliações. Já o Prêmio Escola Alfabetizadora recompensa os docentes das escolas com melhores índices de alfabetização com outro bônus.

Material personalizado. O projeto tem novo material didático de apoio para alunos e professores. Cada série teve o material elaborado com base nas idades dos alunos e nas dificuldades que encontravam.

Fora as avaliações estaduais e federais, os estudantes passam também por testes (em junho e novembro), realizados por equipe da secretaria de Educação da cidade. O objetivo é encontrar defasagens e, a partir dos dados coletados, montar um plano de ação com a escola. Funcionários da secretaria ainda aparecem quinzenalmente para cobrar as metas, discutir resultados com os gestores e averiguar se a escola está seguindo o plano.

ANÁLISE: Naercio Menezes Filho, coordenador do Centro de Políticas Públicas do Insper
Brasil precisa de política educacional mais eficiente

Nas últimas duas décadas, os alunos brasileiros passaram a permanecer mais tempo na escola. Isso se deve a uma série de políticas acertadas, entre elas, o Fundo de Manutenção e Desenvolvimento do Ensino Fundamental (Fundef), o programa Bolsa Família, as políticas de progressão continuada e a valorização da educação pela sociedade brasileira.

Esses avanços na escolaridade média dos jovens brasileiros já têm reflexos no mercado de trabalho, com a queda na desigualdade de renda. Entretanto, o aprendizado obtido por esses jovens no fim do ensino médio ainda é muito baixo e não aumentou nos últimos anos. Por isso o desempenho do Brasil em testes internacionais padronizados é tão decepcionante.

Mas há exceções localizadas. Cidades como Sobral, no Ceará, apresentam uma evolução excepcional no aprendizado dos alunos. Como podemos fazer para que isso aconteça também no resto do Brasil?

As políticas públicas devem começar nos primeiros anos de vida dos alunos. Pesquisas recentes mostram como as crianças já chegam à escola com diferenças enormes na capacidade de aprendizado, dependendo do nível socioeconômico dos pais. As crianças que crescem em famílias com sérios problemas emocionais, financeiros e sociais têm o aprendizado comprometido para toda a vida.

Políticas públicas para acelerar o desenvolvimento das habilidades cognitivas dessas crianças têm apresentado retorno muito elevado.Na escola o foco tem que ser na alfabetização. Também é necessário adotar o mesmo currículo em todas as escolas da rede; medir o progresso dos alunos várias vezes ao ano; trocar os professores que não estão obtendo sucesso; e premiar os melhores diretores e professores. Além disso, no Ceará, parte dos recursos do ICMS que são transferidos para os municípios depende de índices educacionais. Assim, os prefeitos têm incentivos para melhorar a educação a fim de obter mais recursos.

 

Acesse em alta resolução: http://govce.cc/1fb3sTi


- Veja Jornal Aqui


- Página 01


 

- Página 02

 

 

 

 

25.04.2014
Coordenadoria de Imprensa do Governo do Estado com informação do Estado de S. Paulo
Casa Civil - O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. – 85 3466.4898)

Sub-categorias




Governo do Estado do Ceará